Drabble – Proposal

– Você acha que ele vai aceitar? – Jeongmin analisava as a caixa aberta em suas mãos, que mostrava duas alianças. Essas, escolhidas arduamente por semanas, deviam ser perfeitas.

– Claro que vai, hyung, não sei porque tem dúvida. Hyunseong – hyung é louco por você – Kwangmin falava com metade do raciocínio no papo gay de Jeongmin e metade no jogo. Talvez três quartos no jogo.

– Mas mesmo assim, talvez ele ache que isso não tem sentido e que estou maluco.

– Que você está maluco ele sempre soube – recebeu um tapa no braço – Hyung! Não precisa me bater assim, eu quase perdi a última vida.

– Isso é para aprender a prestar atenção nos mais velhos ao invés de ficar no videogame.

– Diz o que fica o dia todo com o celular na mão – Jeongmin apenas resmungou ao ouvir e saiu da sala.

Kwangmin fora inútil ao lhe ajudar num momento de reflexão. Mas se o mais novo tinha tanta certeza que Hyunseong aceitaria, por que ele ficava tão nervoso de o contrário acontecer? Agora que as alianças estavam compradas ele não podia voltar atrás, mesmo que ele não aceitasse, Jeongmin as usaria. Aquilo havia custado quase o mesmo preço que seu iphone.

Se dirigiu ao quarto de Hyunseong para perguntar e acabar logo com isso. Quando abriu a porta logo foi recebido por um sorriso caloroso do mais velho, que estava sozinho no recinto e pintando alguns livros de colorir com ursinhos ou algo parecido. Sorriu também ao sentar no chão ao lado de Hyunseong e o abraçando pela lateral, envolvendo sua cintura e se apoiando em seu ombro. Ele pareceu não se importar e continuou pintando o bichinho de azul.

– Por que você comprou isso, hyung? – Hyunseong riu, já imaginando que ouviria essa pergunta.

– Porque eu gosto de pintar e porque é fofo.

– Os desenhos são estranhos mas você sim é fofo pintando – Jeongmin deu um beijo na bochecha de Hyunseong. Esse se virou e depositou um leve selinho nos lábios do outro.

Depois de se separarem, ficaram apenas se olhando e sorrindo. Costumavam fazer isso, era como se ainda fosse surreal que pudessem se olhar de tão perto e tão profundamente. Era em momentos como aquele, olhando nos olhos de Hyunseong e mergulhando em todas as emoções que o fez se apaixonar, que Jeongmin tinha certeza que queria passar o resto da vida com ele.

– Hyunseong, tem algo que quero te perguntar – Jeongmin quebrou o silêncio e Hyunseong sinalizou para que ele continuasse – Se levante primeiro – o mais novo se ajoelhou quando ele levantou, o causando um olhar de estranhamento. Jeongmin pegou a caixa vermelha e a abriu – Você quer se casar comigo?

– O que? – foi a única coisa que passou pela mente de Hyunseong com aquela cena. Parecia que Jeongmin começou a achar que eles eram um casal hétero e podiam, simplesmente, fazer isso.

– Perguntei se você quer se casar comigo.

– Sim, eu entendi. Mas você sabe que não podemos, não sabe?

– Sei, mas eu comecei a pensar esses dias – Jeongmin se levantou com a ajuda de Hyunseong antes de continuar – Nós podemos ser noivos, no dia que for permitido, seremos os primeiros da fila. O que acha? Você aceita? – Jeongmin notou uma lágrima escorrendo do olho direito de Hyunseong – Hyung, você está be…

– Claro que aceito, Jeongminnie – foi interrompido pela frase e por um abraço forte – Eu te amo tanto, quero tanto ficar com você para sempre.

– Eu também te amo. Muito.

Jeongmin se lembrou naquele momento do quanto foi difícil para ambos desde o começo. Aceitar seus sentimentos, se aceitar e finalmente aceitar o outro em sua vida. Todo o sacrifício pareceu plenamente satisfatório sentindo agora o resultado. Finais felizes poderiam existir de verdade, afinal.