One Shot – Innocent

Todos saíram de casa deixando Hyunseong sozinho na sala assistindo TV, quando percebeu que estava sozinho, foi direto ao quarto de Jeongmin, sabia que ele estaria lá e esperava aproveitar o tempo que tinham sozinhos.

Quando abriu a porta do quarto escutou barulhos estranhos. Jeongmin estava sentado de costas para a porta, e em seu notebook podia se ver cenas nada ortodoxas de dois garotos nus provavelmente transando. Hyunseong não teve tempo de confirmar já que fechou os olhos rapidamente. Jeongmin logo percebeu a presença do mais velho e se virou apenas para o ver com os olhos cobertos. Riu e fechou seu computador.

– Que foi, hyung? Parece que nunca viu um pornô antes – se levantou e foi até onde Hyunseong estava parado, ainda com as mãos tampando os olhos. Perto o suficiente dele, tirou as mãos dele do rosto com suas próprias.

– Mas… eu… nunca vi – Hyunseong estava vermelho e não conseguia olhar Jeongmin nos olhos.

– Sério? Nem uma cena?

– Nada.

– Você é tão inocente, Hyunseong – Jeongmin ria enquanto abraçava Hyunseong – Tenho umas coisas para fazer, passamos um tempo juntos depois, ok? – deu um beijo leve nos lábios do outro e saiu do quarto.

Hyunseong ficou ali pensando no que Jeongmin havia dito e decidiu provar a ele que não era tão inocente quanto o outro pensava ser. Talvez ser inocente fosse um elogio se não viesse de seu amigo colorido, ele devia pensar de outro jeito depois de tudo que já fizeram juntos. Agora era uma questão de honra desvalidar esse adjetivo dado a ele.
X
Esperou a madrugada cair e todos os moradores da casa dormirem para dar inicio ao seu plano. Tudo estava escuro, mas Hyunseong conhecia aquele lugar perfeitamente, conseguia o ver como se estivesse claro, se dirigiu ao quarto de Jeongmin; tentando ser o mais silencioso possível, o que era uma tarefa complicada.

Entrou no quarto e foi até a cama onde Jeongmin dormia, o cômodo era iluminado apenas por uma pequena lâmpada em forma de estrela, já que Minwoo, que também dormia ali, tinha medo de escuro. Hyunseong deveria agradecer Minwoo por essa fobia depois, já que por causa da lâmpada, ele conseguia ver o rosto perfeito de Jeongmin enquanto dormia. Ele era sempre maravilhoso, Hyunseong achava, mesmo sem maquiagem e com os cabelos bagunçados, era como um príncipe.

Não demorou para que Hyunseong começasse seu plano. Selou seus lábios aos dele, começando um beijo até profundo demais para ser dado em alguém desacordado. Mas Jeongmin logo começou a corresponder, mesmo sem abrir os olhos, era como se ainda estivesse dormindo e sonhando. Separando-se do beijo, Jeongmin abriu os olhos, olhou para Hyunseong e sorriu, este sorrindo rapidamente de volta. O sorriso de Jeongmin se apagou quando ele se lembrou que haviam mais duas pessoas no quarto, que podiam acordar a qualquer momento. Antes que pudesse dizer algo, sentiu sua boca já ocupada respondendo à outro beijo que Hyunseong lhe dera, um beijo mais agressivo que o último. Jeongmin não sabia direito o que estava acontecendo, mas estava gostando, até demais.

– Hyung, temos que parar, estou começando a ficar excitado – disse após se separar de Hyunseong, que apenas chegou perto de seu ouvido esquerdo e sussurrou.

– Esse é exatamente o objetivo – quando ele se afastou, Jeongmin pôde ver um sorriso malicioso em seu rosto, expressão que nunca tinha visto antes naquele rosto.

Hyunseong entrelaçou sua mão com a do mais novo para que ele o acompanhasse para fora da cama. Os dois andaram pouco até o cômodo cheio de roupas, ainda dentro do quarto. Por reflexo, Jeongmin fechou a porta quando entrou, milissegundos antes de ser, praticamente, jogado na parede e beijado mais uma vez. Para uma sessão de pegação de madrugada aquilo parecia demais, eles nunca passaram de alguns beijos quando alguém estava perto, mesmo que dormindo, mas parece que Hyunseong queria quebrar esse tabu.

– No closet? Nós não podemos fazer isso no… – Jeongmin foi cortado por outro beijo, esse mais rápido, fora apenas para interrompe-lo.

– Cale a boca, Jeongmin, eu mando aqui hoje – Hyunseong disse com um tom de voz que não era o doce e melódico de sempre. Soava áspero e incrivelmente sexy. Jeongmin não imaginava que um dia ouviria Hyunseong o mandar calar a boca, e muito menos que se sentiria intensamente excitado por isso. Decidiu parar de se questionar e aproveitar a oportunidade. Por mais que estivessem nessa amizade colorida, não faziam sexo muitas vezes, sempre impedidos pela presença de terceiros. Dessa vez, Jeongmin que puxou Hyunseong para outro beijo, era como se o outro estivesse desesperado para ficar mais perto dele que a física permitia, e esse comportamento, apesar de estranho, era perfeito.

Tiraram rapidamente as roupas que cobriam a parte inferior de seus corpos. Achavam, por alguma razão, que se estivessem um pouco vestidos, poderiam dar alguma explicação caso fossem pegos. O que Jeongmin pensava ser bem provável na atual situação, mas o corpo de Hyunseong lhe prensando na parede não o deixava pensar racionalmente. Só conseguia ter aquilo na mente, assim como o mais velho, que já normalmente não prestava atenção em nada ao seu redor quando Jeongmin estava por perto, com ele tão próximo e respirando pesadamente daquele jeito era impossível se focar em algo mais.
X
Se deitaram no chão após colocarem todas as peças de roupa de volta, não era prudente esperar demais para isso. Ambos ainda cansados e sem condições de serem vistos fora do pequeno compartimento. Decidiram ficar ali mais um pouco.

– Hyung, o que foi isso que aconteceu? – Jeongmin ria ao falar.

– Só queria que soubesse que não sou inocente quanto você pensa – disse já perto do rosto de Jeongmin, o beijando antes que ele respondesse.

– Então tudo isso foi só por causa do que eu disse?

– Claro, pareceu que você me via como uma criança – Jeongmin achava que ele realmente parecia uma criança quando dizia aquilo.

– Mas que fofo – Hyunseong olhou para Jeongmin como se fosse mata-lo e esse riu e o abraçou – Tem algo mais que posso dizer pra te irritar? Por que se eu soubesse que era assim teria começado a te irritar há muito tempo.

– Não sei, você pode tentar – Hyunseong também riu – Agora está provado que não sou inocente?

– Está sim, hyung – se beijaram, agora mais suave e lentamente, afinal, outra sessão daquelas levaria tempo demais. Preferiram, no silêncio, aproveitarem a presença um do outro.

Jeongmin apenas concordou para não levar o assunto a uma discussão eterna. Hyunseong tinha uma obsessão estranha para parecer másculo e sexy, ele queria deixar o outro acreditar que o convencera disso assim como convenceu a si mesmo. Sempre acharia Hyunseong inocente e puro, apesar das coisas contrarias a esses adjetivos que já fizeram juntos, e o amava bem assim.

[Vídeo] Spectrum – JeongSeong

Eu to 100% sem o que fazer nas férias e to fazendo vários vídeos, acabo postando eles aqui porque ficam bem fofos cauai desu ne. E também porque fico horas fazendo isso e alguém tem que ver pra valer a pena n
Acho a letra dessa música maravilhosa, inclusive como todas do Zedd, por isso escolhi ela ;;; Enfim, está ai ❤

Drabble – My First Kiss

Jeongmin jogava em seu celular enquanto escutava Hyunseong falar, sem muito interesse no discurso repetitivo que ele sempre fazia. Vivia falando sobre como era frustrante ser um garoto de 22 anos que nunca havia dado um beijo em alguém, e sobre como passaria o resto da sua vida sozinho. Jeongmin poderia dizer que achava Hyunseong maravilhoso e que ele poderia ter qualquer garota ou garoto que quisesse se tentasse, mas isso não é o tipo de coisa que se diz em voz alta, então preferia concordar em silêncio, mas aquilo estava cansativo demais, ele tinha que se manifestar.

– Hyung, você não se cansa de falar disso? – Hyunseong o olhou confuso.

– Disso o que?

– De ficar reclamando que nunca namorou, beijou, etc, se é tão ruim é só resolver o problema e beijar alguém.

– Não é tão fácil, Jeongmin.

– Claro que é.

– Se é fácil, resolva por mim e pronto.

– Tudo bem, vou resolver.

Jeongmin se levantou e foi até a outra ponta do sofá, onde Hyunseong estava sentado, chegou perto dele e o beijou. Não houve resistência por parte do mais velho, como Jeongmin cogitou que haveria, ele simplesmente retribuiu enquanto era guiado. Hyunseong era inexperiente, mas surpreendentemente bom nisso, Jeongmin pensou. O beijo foi longo, Jeongmin não queria ouvir reclamações depois daquilo, então fez o trabalho completo. Depois de se separarem, Jeongmin olhou para Hyunseong, seus olhos possuíam um brilho que ele nunca tinha visto enquanto ele se aproximava de novo. Jeongmin chegou perto do ouvido de Hyunseong e sussurrou.

– Problema resolvido, hyung – quando se afastou, Hyunseong continuou o olhando e não disse nada, então Jeongmin pegou seu iphone e foi andando em direção ao seu quarto. Quando chegou em frente a porta, não teve tempo de abrir a porta antes de sentir dois braços se entrelaçando em sua cintura.

– Se eu começar a reclamar que não dei meu segundo beijo você vai resolver para mim de novo? – Hyunseong disse. Jeongmin riu, não devia ter se aproveitado disso só para beijar Hyunseong, mas também não devia tê-lo feito sem justificativa. Virou para encarar Hyunseong antes de responder.

– Posso pensar no caso, por que você não tenta? – deu um selinho no mais velho antes de entrar para seu quarto.

Hyunseong já pensava em como passar o resto da vida reclamando.