The Only Exception – Capítulo III

Segunda-feira, Hyunseong e Jeongmin estavam matando a primeira aula no jardim. Jeongmin sempre dizia que não precisava daquelas aulas para ser um músico, então não precisava perder seu tempo com aquilo. Já Hyunseong apenas seguia Jeongmin para ficar cada vez mais perto dele. Depois do encontro do fim de semana ele se sentia mais próximo dele. Agora que eles poderiam se ver em outros lugares além da escola, era como se finalmente fizessem parte um da vida do outro. E Hyunseong achou que aquele momento seria o melhor para dizer o que realmente sentia.

Eles estavam em silêncio sentados na grama um do lado do outro. Apenas olhando para o céu, admirando seu azul e as nuvens que o completavam.

– Jeongmin.

– Hum – murmurou ainda sem tirar os olhos das nuvens.
– Eu te amo.

– O que? – Jeongmin parecia assustado e Hyunseong já começava a se arrepender de ter dito – O que você quer dizer? Ama de amar mesmo?

– Sim? – a conversa parecia um pouco sem sentido para Hyunseong.

– Não, acho que você está se confundindo.

– Não estou confundindo nada.

– Está sim – Jeongmin pegou sua mochila e levantou – Nos vemos depois, Hyunseong – e saiu sem nem olhar para trás.

Hyunseong ficou ali parado, já segurando as lágrimas que ameaçavam cair. Ele não pensou que aquilo pudesse acontecer de novo. Achou que talvez Jeongmin pudesse gostar dele, e se não, que não ficaria assustado daquele jeito, que não usaria aquele tom de voz frio. Mas ele deveria saber que ele nunca conseguiria amar ninguém, que não era certo se apaixonar por outros garotos, como ele fazia. Ele só ainda não tinha aprendido a deixar a boca fechada, e sabia que ainda sofreria muito por isso. Sem gastar mais um segundo, saiu do jardim rumo a qualquer lugar onde ele pudesse chorar sozinho.

X

Jeongmin seguia caminho para sua sala. Resolveu entrar para ver se distraia sua mente com algo e esquecer o que acabara de acontecer. Hyunseong tinha dito que o amava? Ele ainda não havia processado as palavras. Já tinha visto milhões de casais e nunca viu nenhum que realmente se amasse, todos eram uma farsa, como seus pais foram um dia. Como ele poderia sentir algo que não existe?

Ele pensou em todos os momentos com Hyunseong. Como o mais velho sempre tentou se aproximar dele, por mais que Jeongmin tenha tentado se afastar. Como ele sempre conseguia arrancar sorrisos de Jeongmin e como sempre se sentia bem perto de Hyunseong. Era incrível como eles se davam bem, e Hyunseong já até conhecia sua mãe. Jeongmin nunca havia pensado sobre isso, foi tudo tão leve e automático desde o início, ele não reparou o quanto já eram quase inseparáveis.

E por um momento lhe veio à mente que ele podia ter machucado Hyunseong com o jeito que o respondeu, só foi tudo tão estranho, sua intenção não foi magoa-lo. Decidiu que deveria procurar Hyunseong o mais rápido possível para que pudessem conversar.

Antes de entrar na sala resolveu ir ao banheiro lavar o rosto e aparecer um pouco apresentável ao professor de matemática. Quando transpôs a porta do banheiro, pôde ouvir um choro abafado vindo do último box.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s