Drabble – Boys Just Wanna Have Fun

Jeongmin estava sentado no sofá vendo TV enquanto esperava todos se arrumarem antes que pudessem sair. Por um milagre ele fora o primeiro a ficar pronto. Viu Hyunseong saindo de seu quarto sorrindo assim que o viu.

– Bom dia, Jjomaennie – beijou sua bochecha e sentou ao seu lado.

– Bom dia, hyung – se abraçaram e ficaram por alguns minutos assim até o mais velho se pronunciar.

– Acho que podíamos ir até aquele motel hoje à noite – Jeongmin estava pensando nisso há dias, mas morria de vergonha de comentar sobre. Era a única coisa de que já sentira vergonha na vida. Como Hyunseong já havia começado poderia contar tudo.

– Ótima ideia. Inclusive acho que já é hora de você ser o ativo, Hyunseong – esse ficou vermelho e abria a boca várias vezes sem que nenhum som saísse dela, até conseguir dizer algo.

– Mas Jeongmin, eu… eu não sei se consigo fazer isso.

– Claro que consegue, hyung. Já faz quatro meses desde a nossa primeira vez e você nunca me deixou ser passivo, eu também quero me divertir.

– Tudo bem, eu vou tentar – Jeongmin apenas sorriu antes que Youngmin saísse do quarto e acabasse com os minutos que tinham sozinhos.

Logo saíram para cumprir suas obrigações, mas a mente de Jeongmin só conseguia focar na noite que estava por vir.
X
Chegaram ao motel com o carro emprestado de Donghyun, que obviamente não sabia para onde seu carro era sempre levado.

Já chegaram no quarto se beijando e se deitando na cama. Tinham pouco tempo e ele devia ser aproveitado.

Hyunseong estava em cima de Jeongmin chupando seu pescoço e deixando várias marcas ali. O mais novo gemia sem se conter, até que a sensação que antes sentia, parou.

– O que foi, hyung? – Hyunseong parecia triste.

– Eu não sei fazer isso, Jeongmin, me desculpe.

– Como não sabe? É só fazer e pronto.

– Não é assim, é mais difícil que isso, eu nunca fiz, vai ser horrível.

– Hyung, por acaso nós entramos em alguma competição de quem faz o melhor sexo? Ou vamos gravar algum filme pornô?

– Não.

– Então por que você se preocupa tanto em ser perfeito?

– Eu só quero ser bom o suficiente para você, Jjomaennie – no final, Hyunseong sempre arrumava um jeito de ser fofo, Jeongmin pensou.

– Só de você tentar já é bom o suficiente para mim – Hyunseong o olhou confuso, então ele riu e continuou – Eu só quero te sentir, hyung. É para isso que estamos aqui.

– Mesmo?

– Mesmo. Podemos continuar agora? – Hyunseong concordou e então voltaram para o que faziam antes.

X
Deitaram-se exaustos um ao lado do outro. Apesar do cansaço, a felicidade era visível em suas expressões.

– Como foi, Jeongmin? – Hyunseong o olhou preocupado. Jeongmin apenas riu e deu um selinho no outro.

– Foi perfeito – sorriram e começaram um beijo calmo que apenas demonstrava o afeto que tinham um pelo outro.

Jeongmin não entedia o motivo de Hyunseong se sentir tão inseguro se ele sempre garantia que todas as noites que passavam juntos fossem perfeitas, por mais que não percebesse. Os dois estarem ali juntos já era perfeito, só, mais nada era necessário.

The Only Exception – Capítulo III

Segunda-feira, Hyunseong e Jeongmin estavam matando a primeira aula no jardim. Jeongmin sempre dizia que não precisava daquelas aulas para ser um músico, então não precisava perder seu tempo com aquilo. Já Hyunseong apenas seguia Jeongmin para ficar cada vez mais perto dele. Depois do encontro do fim de semana ele se sentia mais próximo dele. Agora que eles poderiam se ver em outros lugares além da escola, era como se finalmente fizessem parte um da vida do outro. E Hyunseong achou que aquele momento seria o melhor para dizer o que realmente sentia.

Eles estavam em silêncio sentados na grama um do lado do outro. Apenas olhando para o céu, admirando seu azul e as nuvens que o completavam.

– Jeongmin.

– Hum – murmurou ainda sem tirar os olhos das nuvens.
– Eu te amo.

– O que? – Jeongmin parecia assustado e Hyunseong já começava a se arrepender de ter dito – O que você quer dizer? Ama de amar mesmo?

– Sim? – a conversa parecia um pouco sem sentido para Hyunseong.

– Não, acho que você está se confundindo.

– Não estou confundindo nada.

– Está sim – Jeongmin pegou sua mochila e levantou – Nos vemos depois, Hyunseong – e saiu sem nem olhar para trás.

Hyunseong ficou ali parado, já segurando as lágrimas que ameaçavam cair. Ele não pensou que aquilo pudesse acontecer de novo. Achou que talvez Jeongmin pudesse gostar dele, e se não, que não ficaria assustado daquele jeito, que não usaria aquele tom de voz frio. Mas ele deveria saber que ele nunca conseguiria amar ninguém, que não era certo se apaixonar por outros garotos, como ele fazia. Ele só ainda não tinha aprendido a deixar a boca fechada, e sabia que ainda sofreria muito por isso. Sem gastar mais um segundo, saiu do jardim rumo a qualquer lugar onde ele pudesse chorar sozinho.

X

Jeongmin seguia caminho para sua sala. Resolveu entrar para ver se distraia sua mente com algo e esquecer o que acabara de acontecer. Hyunseong tinha dito que o amava? Ele ainda não havia processado as palavras. Já tinha visto milhões de casais e nunca viu nenhum que realmente se amasse, todos eram uma farsa, como seus pais foram um dia. Como ele poderia sentir algo que não existe?

Ele pensou em todos os momentos com Hyunseong. Como o mais velho sempre tentou se aproximar dele, por mais que Jeongmin tenha tentado se afastar. Como ele sempre conseguia arrancar sorrisos de Jeongmin e como sempre se sentia bem perto de Hyunseong. Era incrível como eles se davam bem, e Hyunseong já até conhecia sua mãe. Jeongmin nunca havia pensado sobre isso, foi tudo tão leve e automático desde o início, ele não reparou o quanto já eram quase inseparáveis.

E por um momento lhe veio à mente que ele podia ter machucado Hyunseong com o jeito que o respondeu, só foi tudo tão estranho, sua intenção não foi magoa-lo. Decidiu que deveria procurar Hyunseong o mais rápido possível para que pudessem conversar.

Antes de entrar na sala resolveu ir ao banheiro lavar o rosto e aparecer um pouco apresentável ao professor de matemática. Quando transpôs a porta do banheiro, pôde ouvir um choro abafado vindo do último box.

The Only Exception – Capítulo II

Hyunseong acordou animado naquela manhã de sábado. Ele não precisava realmente acordar cedo, mas estava tão ansioso para o resto do dia que mal conseguia pregar os olhos. Tinha um encontro com Jeongmin. Provavelmente, para o mais novo, aquilo não era exatamente um encontro, mas não importava para Hyunseong no momento. Ele se levantou e foi direto se arrumar. Tomou banho, ajeitou seus cabelos e unhas e tentou procurar algo para vestir. Não conseguia decidir quais peças seriam apropriadas e ficara por quase meia hora revirando seu guarda roupa procurando algo. Se sentia um pouco estúpido por isso, estava totalmente animado com um encontro que nem era um encontro. Mas não podia controlar suas ações.

Após mais um tempo procurando algo, optou por um sobretudo cinza claro com alguns detalhes em prata, uma calça skinny branca e seu all star preto. Ele queria algo um pouco menos tradicional, mas não poderia sair como se estivesse indo à entrega do oscar. Quando Hyunseong se deu por si, já era praticamente a hora que ele deveria sair. Eles tinham combinado que Hyunseong passaria na casa de Jeongmin para irem, já que Hyunseong já tinha sua habilitação, eles iriam de carro até Hongdae para fazer compras. Então Hyunseong seguiu para a casa de Jeongmin, que ele havia descoberto que não ficava muito longe da sua. Quando chegou, ficou dentro do seu carro, que no caso era o carro do seu pai, esperando para ver se Jeongmin saia pela porta. Mas depois de 15 minutos, se cansou de esperar e resolveu tocar a campainha. Não demorou muito até que a porta se abrisse e ele desse de cara com uma senhora, que imaginou ser a mãe de Jeongmin. Ela parecia ter seus quarenta anos e usava roupas apertadas e de couro, acompanhadas de algumas correntes de prata e de uma maquiagem forte. Os cabelos loiros um pouco desbotados presos em um coque. Definitivamente não se parecia nada com sua mãe, Hyunseong pensou.

– Olá querido, você é Hyunseong, certo? – ela disse já praticamente puxando Hyunseong pra dentro de casa.

-S-sim, muito prazer senhora Lee – Hyunseong fez uma referência rápida.

– Não precisa ser tão formal comigo – ela sorriu, e ele percebeu que seu sorriso se parecia um pouco com o de Jeongmin, então sorriu timidamente de volta – Sabe, já ouvi falar muito de você.

– Já ouviu?

– Sim, Jeongmin sempre me fala de você, e realmente você é muito lindo – Hyunseong arregalou os olhos, será que Jeongmin falava mesmo dele para sua mãe? – Ah, ele já vai descer, esse garoto demora eras para se arrumar.

Depois de 10 minutos que Hyunseong passou conversando com mãe de Jeongmin, ele desceu. E então os dois saíram, ouvindo vários avisos sobre não chegar tarde, não falar com estranhos e tomar cuidado com o dinheiro.
X
Quando chegaram lá, Jeongmin, que tinha acabado de ganhar sua mesada, queria gasta-la inteira em sapatos.

– Tenho certeza que você não vai usar nem metade disso – Hyunseong disse enquanto observava Jeongmin abrir a quinta caixa de sapatos para experimentar.

– Claro que vou, e quanto mais eu tiver, melhor. Você também devia comprar alguns.

– Não, obrigada, já tenho muitos.

– Muitos quantos?

– Muitos 5 ou 6.

– Desde quando isso é muito? Isso é o que eu vou comprar só hoje.

– Isso porque você é muito consumista, inclusive, melhor irmos embora logo antes que você compre a loja inteira – Hyunseong riu enquanto Jeongmin parecia irritado, um pouco antes de rir também e dar um soco leve no braço de Hyunseong.

– Só saio daqui se for para comer, e com seu dinheiro, o meu vai todo nisso aqui.

– Você é muito folgado, Lee Jeongmin. Mas tudo bem, eu pago.

– Sabia que iria. – Então, Jeongmin entrelaçou as mãos com Hyunseong para guia-lo até o caixa.

Hyunseong sentia seu coração bater mais rápido a cada passo que dava. Sempre ficava próximo de Jeongmin mas, nunca era o mais novo que iniciava o contato físico e Hyunseong não conseguia conter o estúpido sentimento de felicidade que crescia dentro dele toda vez que Jeongmin o tocava. Ele se sentia um idiota, um idiota que só conseguia pensar em Lee Jeongmin.