The Only Exception – Capítulo I

Numa sexta feira, Hyunseong estava com os colegas de classe com que já havia feito amizade no intervalo. Insistiu para se sentarem na mesma mesa onde ele havia se sentado há duas semanas, em seu primeiro dia de aula. Na verdade, ele sentou todos os dias naquela mesma mesa. Sempre observando o mesmo garoto que também ficava em sua mesa habitual. Ele sempre estava sentado sozinho, apenas cumprimentando e sorrindo para algumas pessoas que passavam por perto. Seu sorriso, definitivamente o sorriso mais lindo que Hyunseong já vira, era cheio de brilho, cheio de luz. Para ele era automático sorrir também quando o via. Ele sempre estava divagando e olhando para o nada, e depois simplesmente pegava um papel e começava a escrever. Hyunseong queria muito saber o que estava escrito naquele papel. Queria saber muitas coisas, tinha desenvolvido muitas curiosidades desde o primeiro dia. Queria saber que tipo de música ele estava sempre ouvindo e batendo os dedos na mesa enquanto acompanhava o ritmo. Queria saber porque ele fazia expressões diferentes enquanto olhava para o céu ou para as árvores. Queria saber o porquê das joias que sempre o acompanhavam, e o porquê de estar sempre sozinho. Também queria saber seu nome, obviamente. Mas não criou coragem para falar nada durante esse tempo. Apenas observava, e pensava que o garoto realmente andava sempre distraído, por nunca perceber o par de olhos que pousavam nele incansavelmente.

Mais uma semana se passou, uma semana em que Hyunseong reunia coragem para finalmente falar com o garoto. Ele não sabia o que dizer, se sentia nervoso só em pensar nisso. Ele nunca teve dificuldades em fazer amigos, mas aquele garoto parecia diferente das outras pessoas. Hyunseong apenas não sabia se ele era realmente diferente, ou apenas se ele o via desse jeito por alguma razão incompreensível. Depois de muito pensar, decidiu que no intervalo daquele dia falaria com ele. Afinal, era apenas uma conversa simples, não havia motivo para tanta ansiedade. Só precisava que seu cérebro entendesse isso, e que seu coração parasse de bater irritantemente rápido enquanto ele caminhava até a mesa.

Quando finalmente chegou ao seu destino, ficou imóvel até que o garoto desviasse sua atenção do celular para a figura parada a sua frente.

– Oi? – ele disse com uma sobrancelha arqueada numa expressão um pouco confusa que se juntava a incerteza no tom de voz.

-Oi – Hyunseong sorriu tentando passar a confiança que não possuía enquanto falava – Posso me sentar aqui?

– Claro – ele fez um gesto com as mãos para que Hyunseong sentasse a sua frente.

– Obrigado – ele se sentou ainda se sentindo um pouco nervoso – Então… Muito prazer, sou Shim Hyunseong, e você é..?

– Jeongmin… Lee Jeongmin – disse enquanto estendia sua mão para Hyunseong sorrindo. Hyunseong quase sentiu seu maxilar quebrar por tanto que sorria enquanto retribuía o aperto de mão – Então, está fazendo o que aqui?

– Aqui onde? No mundo, no país, na cidade, na escola… – Jeongmin interrompeu o estranho raciocínio de Hyunseong rindo.

– Aqui na minha mesa, Hyunseong. – disse ainda rindo levemente.
– Ah sim, me desculpe, estou te incomodando, certo? – Hyunseong levantava da mesa já se retirando. O que ele tinha na cabeça? Não podia simplesmente chegar perto das pessoas assim. Ainda estava se culpando mentalmente quando Jeongmin interrompeu seus pensamentos.

– Calma, pode ficar, você não está incomodando – ele esperou Hyunseong se sentar novamente para continuar – Não quis parecer rude, me desculpe, apenas fiquei curioso, alunos novos não costumam falar comigo. Você é novo aqui, não é?

– Sou sim – Hyunseong olhava para baixo enquanto falava, um pouco envergonhado. – Eu só… quis te conhecer, apenas isso.

– Por quê?

– Não sei ao certo, porque você parece ser uma pessoa interessante talvez?

– Pareço? – Jeongmin perguntou num tom um pouco mais leve e menos desconfiado do que o que havia usado até agora.

– Sim – Hyunseong respondeu agora olhando pra cima sorrindo levemente.

– Se você diz – então eles conversaram sobre coisas aleatórias até o fim do intervalo.

X

Hyunseong e Jeongmin estavam sentados no jardim da escola depois do intervalo. Sim, eles haviam faltado a uma das aulas e não, não havia ninguém ali que ligava para isso. No último mês eles começaram a se conhecer melhor, e ficavam juntos quase todos os dias. Hyunseong percebeu que estava certo desde o começo ao gostar de Jeongmin. A cada dia gostava mais dele, a cada coisa nova que descobria durante suas conversas. Era um pouco difícil se aproximar e ter uma conversa apropriada com ele, Hyunseong percebeu isso desde o início. Mas o esforço, que diminuía ao longo do tempo, sempre valia a pena. E Jeongmin gostava da companhia do mais velho, fazia um tempo que ele não tinha amigos novos, preferia se afastar de tudo. Mas Hyunseong sempre insistira para ficar com ele, e Jeongmin não reclamava. Ele gostava do tempo que passava com Hyunseong, e estranhamente, também gostava do eterno bombardeio de perguntas sobre tudo.

Nesse dia eles estavam sentados enquanto Jeongmin trabalhava em uma música que estava compondo. Hyunseong apenas o encarava com um sorriso no rosto, quando Jeongmin percebeu o par de olhos sobre si, desviou sua atenção da partitura, para Hyunseong.

– Por que você está me olhando assim? – Jeongmin sempre sabia que podia esperar qualquer tipo de resposta bizarra, mas sempre perguntava mesmo assim.

– Porque você é lindo – Hyunseong simplesmente respondeu ainda com um sorriso no rosto.

– Eu sei – disse Jeongmin rindo, apesar de sempre ficar com vergonha dos infinitos elogios do mais velho. Parecia que a cada dia Hyunseong encontrava uma qualidade nova nele.

–  Que bom que sabe – Hyunseong então colocou uma de suas mãos sobre outra de Jeongmin enquanto a acariciava. Aquilo também não era novidade. Hyunseong sempre fazia coisas assim. Abraços, mãos se tocando, braços em volta da cintura. No começo Jeongmin achou estranho, mas depois se acostumou e já nem ligava mais.

Hyunseong, por sua vez, amava tocar em Jeongmin, ficar cada vez mais perto dele. Mesmo que ele encarasse isso como algo normal e como se não fosse nada de mais. Para Hyunseong eram os melhores momentos do seu dia. Quando eles podiam ficar sozinhos juntos. Por isso o mais velho sempre insistia em matar algumas aulas depois do intervalo, mesmo que durante esse tempo eles ficassem juntos sempre, Hyunseong não podia ficar tão perto de Jeongmin quanto queria, não no meio de tantas pessoas. Quando estavam sozinhos, ambos se sentiam melhor.
Anúncios

The Only Exception – Prólogo

Hyunseong estava um pouco nervoso e totalmente empolgado com seu primeiro dia de aula. Podia parecer algo bobo e infantil, mas era impossível se conter. Ele havia estudado na mesma escola desde que se conhecia por gente. Por um lado fora difícil se despedir dos antigos colegas, mas por outro estava feliz em poder conhecer pessoas novas. Ele saia pouco, por isso os únicos lugares disponíveis para conhecer alguém, eram a escola e alguns cursos que já havia frequentado. Aquela era uma oportunidade de viver algo novo. Mas no fundo podia sentir que estava animado demais e que o lugar poderia ser menos do que esperava.

Desceu do ônibus um pouco incerto sobre o local em que estava. Não sabia se havia descido no ponto de ônibus correto e não conseguia ver nenhuma indicação para seu caminho. Começara a sentir um leve pânico por estar perdido até que visualizou, do outro lado da rua, três garotos usando o mesmo uniforme que ele e se sentiu um pouco aliviado. Resolveu seguir os garotos. Claro que eles poderiam estar indo para outro lugar ao invés da escola, mas não é como se Hyunseong tivesse outra opção. Após seguir o grupo discretamente por um quarteirão, conseguiu ver uma construção enorme com o nome Instituto Ross talhado em letras garrafais, porém sofisticadas, em sua entrada. Só então conseguiu se acalmar totalmente. Hyunseong era quase profissional em se perder pela cidade, por isso sempre se assustava um pouco quando andava em locais desconhecidos, mas agora que já tinha o caminho do colégio na memória, seria difícil repetir o feito.

As primeiras aulas se resumiram em apresentações diante o professor e a turma de cada aula, que Hyunseong descobriu que odiava fazer, e algumas conversas aleatórias com poucos colegas que se mostraram simpáticos. Parecia que ali era raro novatos serem transferidos no meio do ano letivo, mais um motivo que deixou Hyunseong com extrema vergonha dos olhares curiosos durante as várias apresentações. Ele era do tipo que adorava conversar e falava livremente até com estranhos, mas tinha certo pavor de falar em público. Realmente não havia pensado nessa parte da transferência.

X

Na hora do intervalo, ficara totalmente perdido naquele refeitório lotado, parecia que todas as mesas estavam ocupadas e Hyunseong não teria coragem de simplesmente sentar em alguma delas. Mas o lugar era muito grande, e ele viu que também havia uma parte descoberta com um número bem menor de ocupantes.

Ali na área descoberta, haviam algumas mesas vazias e então ele consegui uma para se sentar. Uma vez instalado, parou para observar a sua volta. A parte externa era composta por árvores em toda sua extensão e bem perto das mesas, fixadas numa grama verde e bem cuidada. Era bem mais bonito e relaxante que o caótico refeitório cheio de barulho e movimento. Ali era mais tranquilo, tinha uma aura diferente do resto da escola, apesar de estar dentro dela.

Enquanto fazia uma vista geral do ambiente, seus olhos se fixaram em um certo ponto. Uma mesa que estava a cerca de três metros de distância de sua própria e que era ocupada apenas por um garoto. Hyunseong não sabia exatamente o que chamara tanto sua atenção a ele. Se foram seus cabelos avermelhados, os brincos e correntes brilhantes, ou o olhar profundo que estava concentrado em um papel que ele possuía. Só sabia que poderia ficar encarando por uma eternidade.